Nossa História.

Dellandrea é um sobrenome de família, que com muito orgulho nomeia a empresa que dirigimos e exige de nós honrá-lo prestando um serviço de muita qualidade acima de tudo, com DEDICAÇÃO, PAIXÃO DE VERDADE pelo que fazemos, afinal é o nome de nossa família.

A hist√≥ria da fam√≠lia come√ßa no Brasil, a partir de 1875 com a chegada de imigrantes vindos da regi√£o do Trentino Alto-Adige para o Vale do Itaja√≠ em SC onde o Dr. Blumenau ‚Äď respons√°vel pela coloniza√ß√£o encaminhou os rec√©m chegados para a hoje cidade de RODEIO.

Para entender melhor, precisamos imaginar (√© quase imposs√≠vel diante de tantas modernidades/facilidades que temos hoje) as muitas dificuldades que os povos passavam na Europa. A regi√£o do Trentino ou Tirol Meridional (do Sul) na √©poca era dominada pelo imp√©rio Austro-H√ļngaro, cada vale falava seu dialeto, sofria as conseq√ľ√™ncias de revolu√ß√Ķes e guerras, persegui√ß√Ķes religiosas, vivia em grande pobreza, vitimas de uma sociedade feudal, muitos n√£o conseguiam pagar seus impostos e milhares de propriedades foram confiscadas; dominada por altas montanhas chamadas Dolomitas (Alpes), j√° n√£o possu√≠a mais terras agricult√°veis dispon√≠veis, (as terras eram indivis√≠veis e somente o filho mais velho herdava). A regi√£o aut√īnoma do Trentino Alto Adige/S√ľdtirol, hoje nordeste da It√°lia divisa com a √Āustria, sempre teve forte influ√™ncia alem√£, ainda hoje s√£o cerca de 35% da popula√ß√£o de 1 milh√£o de habitantes que vivem em cerca de 13.600 km2 (1/7 de SC que tem 95.000 km2) e falam basicamente 3 idiomas ( italiano, alem√£o e ladino-dolomita) . Neste contexto foi que GIOVANNI BATISTA DELLANDREA (bisav√ī) resolve emigrar para o Brasil. Os emigrantes vinham de navio misturados a carga em condi√ß√Ķes sub-humanas at√© o Rio de Janeiro e depois enviados para o Sul do Brasil, se fixando na localidade de Rodeio ‚Äď SC. Um de seus filhos JO√ÉO BATISTA DELLANDREA (Joanin de Tita ‚Äď como era conhecido ‚Äúcabelo de fogo ‚Äď ruivo‚ÄĚ) foi um dos primeiros nascimentos na nova col√īnia, sendo batizado em baixo de uma figueira, pois nem a igreja tinham constru√≠do. Meu av√ī era figura carism√°tica e conhecida de todos na cidade. Vendia picol√©s com uma carro√ßa de um burro s√≥, tinha uma caixa de madeira, colocava os picol√©s no centro, 2 barras de gelo, 2 kg de sal e percorria as poucas estradas. Como tudo era muito prec√°rio, quase n√£o existia dinheiro (em esp√©cie) os neg√≥cios eram feitos a base de troca. Picol√©s por produtos coloniais, ovos, queijos e tudo que pudesse ser negociado. As crian√ßas o adoravam e muitas vezes tamb√©m aprontavam, com perip√©cias de crian√ßas, trocavam picol√©s por ovos ‚Äúchocos‚ÄĚ (a crian√ßas roubavam os ovos dos ninhos das galinhas). Joanin teve 11 filhos entre eles ‚ÄúLUCIA DELLANDREA PEREIRA‚ÄĚ, minha m√£e, que quando mo√ßa veio morar em Blumenau, casando-se com RAMILLO PEREIRA e foi onde nasci RENATO PEREIRA.

Desde crian√ßa sonhava com o mundo, paisagens, novos horizontes, sonhava. Na escola n√£o entendia o mapa mundi, achava como os navegadores, que depois do horizonte, o mar tinha um enorme abismo para o infinito. Quando a professora trouxe o globo, descobri e entendi que o mundo era redondo. N√£o parei mais de sonhar. Comecei a colecionar cart√Ķes postais e viajava. Viajava nas imagens esperando um dia conhecer todos aquelas lugares. Comecei minha vida profissional em 1990, trabalhando em uma escola de inform√°tica, quando computador ainda era um mito e as pessoas n√£o tinham muito acesso. Computadores daquela √©poca j√° s√£o pe√ßas de museu e nem faz tanto tempo assim (PC XT 286 / 386 / AT, etc..). Trabalhei e pouco tempo depois come√ßamos uma nova escola em Ituporanga (Alto Vale). Mas faltava alguma coisa. Retornei a Blumenau e em 1992 tive a oportunidade de fazer um curso de Guia de Turismo Regional e na mesma √©poca outro curso de Guia de Excurs√£o em Balne√°rio Cambori√ļ. Depois de muito estudo, esfor√ßo e sacrif√≠cio meu e de meus pais (RAMILLO e LUCIA), comecei a trabalhar como guia de turismo (a titulo de informa√ß√£o guia tur√≠stico √© um informativo ‚Äď impresso, digital etc..). A falta de oportunidade como guia de turismo nos levou a organizar excurs√Ķes e com o aumento desta atividade verificamos a necessidade de abrir uma agencia de turismo sendo criada em abr- 1995, a Dellandrea Turismo Viajei e Gostei!. Hoje (2009) j√° s√£o 17 anos como guia de turismo e 14 anos da Agencia a seu servi√ßo, sendo s√≥cios RENATO PEREIRA E JANE DA SILVA PEREIRA.

Enfim um pouco da nossa história.

A vida é um livro e quem viaja, conhece várias páginas deste livro. Venha viajar conosco. Saia do lugar comum. Veja por onde já viajamos. Escolha os seus destinos favoritos e venha fazer parte desta grande Família e estar no próximo álbum...

Estas fotos s√£o aquelas tradicionais tirados por fot√≥grafos profissionais e escolhidas aleatoriamente, uma maneira de homenagear o que temos de mais importante ‚Äď VOC√ä nosso viajante e todos que j√° viajaram com a Dellandrea Turismo Viajei e Gostei!.

Por RENATO PEREIRA.

A saga dos Emigrantes:

"Que coisa entendeis por uma na√ß√£o, Senhor Ministro? √Č a massa dos infelizes? Plantamos e ceifamos o trigo, mas nunca provamos p√£o branco. Cultivamos a videira, mas n√£o bebemos o vinho. Criamos animais, mas n√£o comemos a carne. Apesar disso, v√≥s nos aconselhais a n√£o abandonarmos a nossa p√°tria? Mas √© uma p√°tria a terra em que n√£o se consegue viver do pr√≥prio trabalho?" (resposta de um italiano a um Ministro de Estado de seu pa√≠s, a prop√≥sito das raz√Ķes que estavam ditando a emigra√ß√£o em massa)